Quem sou eu e o que este blog.

Minha foto

Sou viciado em computação, Internet e Fotografia. Morei por quase 6 anos, e ainda frequento, Paraty. Sou usuário de softwares Open Source, tendo dado algumas contribuições em diversas ocasiões.

sábado, 12 de maio de 2012

Virada Digital Paraty 2012 - Dia 1

Acordei às 10:00, arrumei as últimas coisas e fui para o evento. Passei na Praça do Chafariz, onde tem uma tenda montada, envolvendo o Chafariz.


O Chafariz está dentro da tenda.


Consegui informações sobre onde pegar o meu crachá de imprensa, e fui ao local. É em uma pousada perto da Rodoviária.


Como me inscrevi em cima da hora, o meu crachá não estava pronto,então recebi um provisório.


No caminho para o Areal do Pontal, onde se concentram boa parte do evento, vi o palco parcialmente montado para os shows de noite.


E na entrada da Ponte do Pontal vi as tendas (a maré estava bem baixa.).


Fiz um reconhecimento, nas tendas, no evento. Dentro da Tenda Estrela já tinha imprensa trabalhando, mas a parte das palestras ainda estava sendo terminada. A tenda é bem clara, e tem um grande aproveitamento da luz solar, mas os projetores não estavam conseguindo funcionar. A imagem que eles geravam não dava para ser vista devido à claridade.




A poluição de wireless era enorme. Usaram os canais padrão 1, 6 e 11, aparentemente sem analisar o local, e talvez muita potência com antenas omnidirecionais. Fiz uma foto ruim, mas dá para ver a distribuição de sinal. (Os arranhões e a sujeira são no plástico protetor, e não na tela.)


A Internet deu umas falhadas comigo, me deixando de mau humor num momento. Parece que o meu tablet resolveu encrencar ao acessar o cartão Wireless e a Internet Wireless. Passei a forçar um acesso por vez, e deu para funcionar, mas tinha que manter o tablet perto da câmera. Tive a impressão, mas não testei bem, que se a câmera estivesse meio longe eles tinham dificuldade de comunicação.

Vi a tenda com a Lan Party e onde eram feitas as oficinas, e depois fui almoçar.


Não resisti e fiz esta foto no caminho, mostrando o bom tempo.


Almocei, fiz compras, e dei um pulo em casa. Voltei às tenda estrela no meio da tarde. Assisti o final da palesta de 3D e medicina, que mostrou um paciente que teve uma prótese de titânio colocada em uma parte do rosto, onde tinha antes um tumor ósseo, e ainda como a modelagem 3D ajudou no planejamento da cirurgia, e na confecção das peças do implante.


Nota, não coloquei as fotos da cirurgia.

A sala de imprensa estava mais cheia ainda, mas uma camisa me chamou a atenção no meio dela.


Alguém é capaz de ver?

Quando cheguei perto achei isto, uma impressora Open Hardware de 3D, de modelagem.


Foi uma das coisas mais legais do evento. Ela estava fazendo uma peça para ela mesma. Depois fui para a oficina deles. Eles usaram um programa de CAD interessante, Open Source, que em parte me lembrou a linguagem LOGO.

Eles convidaram alunos para montarem um esboço de um corpo de câmera para a impressora fazer.





Depois da oficina, foram para a sala de imprensa, e começaram a montar o câmera.


A luz artificial na sala de imprensa estava péssima. Estava muito amarela.

Eu fui assistir algumas palestras. Peguei no meio a palestra sobre a cidades e Internet. Falava de conectividade, interação etc. Depois falei com o palestrante que eu estava transmitindo as fotos do evento pela Internet pouco depois que fazia a foto.


Depois foi uma palestra que mostrou como os excluídos se fazem incluir na sociedade. Mostrou favelas, índios, quilombos, inclusive o Quilombo Independência, de Paraty.




Depois voltei para ver como estava a impressão.


Depois deu uma pane elétrica, quando a impressão estava perto do fim. A bancada ficou sem energia.

Conversei com o pessoal de Metamáquinas, que faz esta impressora 3D. Conversamos sobre computação. Ajudei na engenharia reversa de um telefone computadorizado.

Neste ponto e já tinha parado de enviar fotos para o Twitter.

Depois fui ver o show de abertura da noite.







Achei o show muito legal, e tinha uma música muito interessante: "Existem mais igrejas do que supermercados.", ou algo parecido com isto. E é verdade. Tem mais igrejas, cultos, templos etc, do que supermercados. Eu conheço 4 supermercados em Paraty, mas só no Centro Histórico tem 4 igrejas Católicas. Ainda tem uma igreja Católica, creio eu, fora, e mais uma capelinha. Uma de Testemunha de Jeová. Tem mais uma Batista. Mais uma daquele que aparece na TV. Mais uma perto do Centro Histórico, na Av. Principal. Tem o antigo Bandeirante. Eu já perdi a conta, e não devo ter contado a metade.

Não achei na programação informações sobre o show de abertura. Não sei o nome da banda, mas se descobrir, faço a atualização.

Senti falta da minha tele para fotografar o show. O palco era muito alto.

Fui em casa para pagar a tele, e voltei para o show do MV Bill.









Uma das músicas que achei legal foi um duelo entre eles, o cantor e a cantora, imitando uma briga de casal.

Eu estava muito cansado, e não fiquei até o final.

E acho que estou meio enferrujado, ou muito cansado. Esqueci de fotografar a plateia nos dois shows.

Também teve cinegrafista no palco fazendo mico. Ele entrou na frente do músico enquanto filmava. Um outro, sem noção de fotografia de shows, foi no fundo do palco e tirou uma foto, bem de frente para a plateia, com flash, e para piorar, de camisa branca.

Terminei o artigo no final da madrugada, e de fazer backup das fotos. Tenho que dormir um pouco para continuar amanhã (ou hoje), pois vai ter muita coisa legal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário