Quem sou eu e o que este blog.

Minha foto

Sou viciado em computação, Internet e Fotografia. Morei por quase 6 anos, e ainda frequento, Paraty. Sou usuário de softwares Open Source, tendo dado algumas contribuições em diversas ocasiões.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Estourando uma única cor. É possível?

O que há de errado na primeira foto que não está na segunda?

Primeira foto.

Segunda foto.
Qual das duas está com problemas?

Muita gente com alguma experiência percebe quando uma foto está estourada olhando para ela, mas tem situações nas quais uma foto estoura mais sutilmente, que não se vê facilmente. Vamos entender melhor como algo pode estourar e não parecer estourado.

Uma imagem colorida é tipicamente composta de 3 cores (imagens de satélite são bem mais, e que costumam chamar de canais, e já foram fabricadas câmeras com 4 cores e filmes com duas cores). É a combinação destas cores primárias que dão a sensação da cor. Os nossos olhos tem sensibilidade para 3 cores e luminância, sendo mais sensíveis para luminância, o que explica que em situações de pouca luz não conseguimos definir bem as cores. Os sensores das câmeras digitais decompõem a imagem usando as 3 cores primárias da luz, imitando parcialmente o processo na visão humana.

O branco do fundo está bem "perfeito" na primeira foto, mas as sombras estão esverdeadas. Isto indica problemas com o verde. Mas qual problema.

Quem leu o artigo Equilíbrio de Branco e espectroscopia sabe que as 3 cores são multiplicadas individualmente para se obter o branco, e para obter estes multiplicadores se usa alguma referência.

O valor máximo representável no arquivo RAW, e inclusive o captável pelo sensor de uma câmera e pelo digitalizador, é limitado, e nada pode passar deste limite. Se acontecer de ter algo que passaria deste limite, ele será representado pelo valor máximo representável, que é menor do que representaria fielmente aquele objeto.

Uma foto pode ter alguma coisa estourada de propósito, planejada, como o fundo em uma foto de produto, especialmente se o fundo vai ser recortado na edição. Neste caso, o fundo branco não pode ser usado para referência de branco, e este foi o erro da primeira foto.

A primeira foto está um ponto mais exposta que a segunda. Como a luz tinha as componentes verdes mais intensas, esta deveria ter um multiplicador menor. Mas erroneamente usei o fundo, que estava com o verde estourado - representado pelo máximo representável, que era menor do que deveria ser - e obtive um multiplicador maior do que deveria ser. Com o multiplicador maior, os verdes que não estavam estourados foram exagerados, gerando as sombras, cinzas etc, esverdeadas.

Soluções? Eu penso em vários caminhos, mas não cheguei a testar:
  1. Pegar os multiplicadores na imagem menos exposta, a segunda, e usar na primeira imagem.
  2. Usar como referência a sombra, ou algum outro lugar não estourado.
  3. Usar um cartão cinza.

Se alguém tem mais sugestões, pode colocar nos comentários, que eu agradeço.

2 comentários:

  1. Na verdade a sua segunda foto está mais errada que a primeira pois os objetos pretos estão cinzas (sobre-expostos) e o fundo não está branco.

    ResponderExcluir
  2. A primeira esta com perda de informação, o que é bem ruim mesmo. Olhe as sombras esverdeadas.

    ResponderExcluir