Quem sou eu e o que este blog.

Minha foto

Sou viciado em computação, Internet e Fotografia. Morei por quase 6 anos, e ainda frequento, Paraty. Sou usuário de softwares Open Source, tendo dado algumas contribuições em diversas ocasiões.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Flash fotográfico, opinião

Uma coisa muito comum na fotografia é o uso do flash. Mas é muito comum o seu uso errado, e até de forma desrespeitosa.

Posso afirmar que a maioria das pessoas que usam câmeras compactas usam o flash de forma inadequada em boa parte do tempo, e muitos que usam SLRs também.

O flash pode ser uma ferramenta muito útil em uma situação controlada, sendo usado conscientemente, e um desastre em muitos aspectos se usado erroneamente.

Abaixo vão algumas coisas para pensar.

Mitos

Existem alguns mitos, como "Está escuro, tem que usar flash.", e "Está sol, não se deve usar flash".

Câmeras digitais atuais são bem sensíveis, e podem tirar fotos com menos luz, especialmente se souber aproveitar a luz existente. Assim pode-se fazer fotos sensacionais sem usar flash de noite.

E de dia, se estiver na contra luz, ou tiver sombras fortes, e evidentes, pode-se usar flash para melhorar a exposição.

Ou seja, os mitos acima não tem muito sentido, especialmente se o fotógrafo souber entender a luz da cena e como explorá-la.

Potência instantânea

Alguém faz ideia da potência de luz de um flash de câmera? É na ordem de 1 KW em 1 milésimo de segundo. Flashs externos e de estúdio são capazes de potências maiores ainda.

Já sei que vão questionar como se consegue 1 KW com duas pilhas pequenas. Se já acreditou em mim, pule para o próximo tópico, se não, continue lendo.

Uma pilha alcalina pequena (AA) em curto fornece de 2 A a 2.5 A (Ampere). Acredito que em condições normais de uso possa fornecer 1 A sem grandes problemas. Duas pilhas formam 3 V (1.5 V multiplicado por 2). Uma câmera compacta demora um pouco para carregar o flash. Suponha que demore 1 segundo. Temos 3 W (3 V multiplicado por 1 A) por um segundo sendo acumulados para disparo do flash, então temos 3 Joules de energia. Agora solte os 3 Joules em cima da lâmpada do flash em um tempo de 1 mili segundo. O que temos? Temos 3 KW na lâmpada. Como lâmpada de flash tem rendimento de cerca de 50%, temos um pulso de luz de 1.5 KW em 1 ms.

Espectro de luz

O flash tem um espectro de luz muito grande, variando do infravermelho ao ultravioleta, e uma potência instantânea muito alta. Em alguns lugares é proibido o seu uso para não estragar algumas pinturas e obras de arte por reações químicas que a luz cataliza.

Em ambientes com pó inflamável em suspensão e/ou gazes inflamáveis deve ser altamente desaconselhável o uso de flash, por existir o risco de ignição. Uma vez me ensinaram a fazer uma bomba que detonava com luz. Não sei se era verdade, pois os materiais não eram simples de se conseguir e usar, poderia detonar fazendo, e não sou doido a este ponto.

Olhos fechados e cegueira temporária

Alguém já notou como se tornou comum as pessoas fecharem os olhos na hora da foto? Qual é a causa? Reflexo de proteção dos olhos. A luz do flash é forte e deixa parte da retina cega temporariamente, como se olhasse para o sol. Então as pessoas já associaram foto à agressão à retina, e instintivamente fecham os olhos.

Muita gente que fotografa os outros com flash não tem esta consciência, que o flash cega a pessoa temporariamente por dois processos diferentes. O primeiro, e pior, é o dano temporário na retina, e já li que pode deixar um efeito acumulativo se frequente. A mancha na imagem que fica impressa na retina é uma espécie de "sobrecarga" e a retina demora um tempo para se recuperar dela. Muitos usuários de flash não tem a consciência que estão infringindo um incômodo à quem estão fotografando, e em alguns casos, sem a devida permissão da pessoa a quem infingem isto.

O segundo processo de cegueira temporária é a contração da pupila, para se adaptar a uma nova condição de luz. Um dos processos para redução de olhos vermelhos é justamente fazer isto, forçar a contração da pupila. A câmera dispara um pré-flash ou uma sequência de pré-flashs, espera cerca de 1 segundo para a pupila se contrair (a pessoa também pode acabar fechando o olho neste processo), e depois ela dispara o flash para valer, fazendo a foto. Deste modo a pessoa estará com a pupila contraída na hora da foto. Isto é muito bom para retratos, mas nem tudo em fotografia é retratos.

Fotos de movimento e ação

O flash pode ser usado em duas formas em fotografia de movimento. Uma é altamente controlada, e a outra é a forma que chega a ser perigosamente errada em alguns casos.

Se está em um estúdio, ou em alguma outra situação controlada, querendo fotografar algo que se move em alta velocidade, pode-se usar o flash para congelar o movimento. Basta lembrar que a luz do flash tem cerca de 1 ms de duração (em alguns equipamentos de flash até menos). Muitas fotos de alta velocidade não são feitas com câmeras de alta velocidade e sensores ou filmes de alta sensibilidade. Basta ter uma luz bastante intensa por um tempo bastante curto, para congelar um movimento.

Mas imagine uma peça de balé de um grande grupo de dança. O bailarino olha para a bailarina, a bailarina olha para o bailarino. A bailarina corre em direção do bailarino. O bailarino corre em direção da bailarina. A bailarina dá um salto de mais de 2 metros de altura, para que o bailarino a segure no ar. No momento mais alto do salto, quando ela está com abertura total, alguém faz uma foto com um poderoso flash, cegando o bailarino. Assim ele não consegue pegar a bailarina, que cai no chão, fazendo fratura exposta no fêmur, rasgando a musculatura da coxa, e encerrando a carreira da principal bailarina da grupo de dança. Este alguém pode ficar famoso não só por ter a foto do último salto da bailarina, como também por ser o motivo deste ser o último salto dela.

Sim, flash é risco. Algumas atividades, especialmente quando implica em algum risco, como certos estilos de danças, artes marciais, esportes de risco etc, não devem ser fotografados com flash. Eles podem quebrar a concentração, e causar cegueira temporária, criando riscos de acidentes. Realmente, muita gente que converso não leva a sério isto, mesmo eu avisando. Por ser ex-praticante de Karatê, e tido um acidente na turma por causa do som alto da aula de lambaeróbica da sala ao lado (o aluno que escutou a ordem de parada dada pelo sensei foi atingido por um que não escutou), sei como uma ação errada em um tempo muito curto pode ser perigoso. Este incidente causou a mudança da turma inteira de Karatê para outra academia e outro horário.

Então, não se deve fotografar dança, artes marciais, esportes radicais etc, com flash. Sempre avalie o risco para os outros. Tenha consciência dos riscos.
Tenha respeito por quem você está fotografando.

Respeito à iluminação

Em algumas situações já existe uma iluminação planejada, e usar o flash é um pouco de desrespeito à esta iluminação. O flash será uma luz anômala, com possibilidade de cor diferente, mudando o esquema de luz do local. Em suma, você não terá a cena como ela foi criada para ser vista.

Shows, peças de teatro, concertos etc, pode ter uma iluminação com um propósito pensado (Sei que nem sempre é verdade, e que é comum uma iluminação feita sem planejamento e com erros graves.), se você usar um flash estará acrescentando uma luz na sua foto que não faz parte da cena. Em suma, não estará fotografando realmente a cena.

Respeito à plateia

Se estão encenando a peça, fazendo o show etc, só para você fotografar, é uma coisa. A cena é sua. Mas se tem plateia, é outra. É chato assistir qualquer coisa e ficar vendo flashs pipocando o tempo todo. Incomoda muito.

Respeito aos outros fotógrafos e aos cinegrafistas

Se você não é o único fotógrafo, ou tem cinegrafista também trabalhando, lembre-se que o seu flash pode atrapalhá-los. O seu flash pode entrar na foto feita por outro fotógrafo, e quase certamente entrará na filmagem. Nas filmagens as pessoas nem mais ligam, pois ficou como uma praga comum, como moscas que você abana e convive. Incomodam, mas acham que tem que conviver, pois não tem solução.

Eu, em respeito aos outros fotógrafos, nem uso luz de auxilio de foco, a não ser em último caso. Eu a mantenho desligada. Tenho uma foto na qual entrou a luz de auxílio de foco de outro fotógrafo. Fotos que entraram flash de outro tenho aos montes.

Já que estamos falando de respeito

Eu pretendo fazer um outro artigo sobre isto, mas já vou falar um pouco. Se o evento está sendo feito só para você, tudo bem. Mas se tem plateia, tem mais gente vendo, filmando, fotografando, documentando etc, nada de chegar perto, nada de entrar no meio da cena, nada de "closes bombásticos" etc. É uma falta de respeito completo, com os artistas, com a plateia, com os outros que querem capturar a cena etc. Esta falta de respeito é muito comum, não sei quanto vem de ingenuidade, mas já acontecer vi por arrogância.

Já vi fotógrafos e cinegrafistas acharem que tem o direito de entrar na cena por estarem trabalhando, por terem sido contratados para documentarem a cena. Eu acho que é como o fotógrafo entrar no meio dos noivos para fotografar o padre no casamento. Ser contratado para cobrir um evento não faz com que o evento seja só para ele. Ele tem que ser invisível na maior parte do tempo, a não ser nos momentos em que realmente tem que interferir.

Algumas vezes este nível de desrespeito não termina bem. Um que fotografava com uma câmera compacta levou uma bronca dos artistas em uma encenação de rua no meio da Praça da Matriz de Paraty, com plateia assistindo. Este ficou contrariado, mas parou de fotografar. Uma vez vi um cinegrafista foi "expulso", "convidado a se retirar", de uma festa religiosa, também diante de uma grande plateia, por ter entrado várias vezes no meio da cena, entre outras coisas. Ele já tinha sido advertido antes. Tinha outro cinegrafista que já estava perto de partir para a grosseria com este mal educado. Não vou citar quem são, nem postar as fotos que tenho deles em "ação". O caso fica por aqui.

Uma vez vi um turista entrar no meio de uma apresentação de rua para fotografar um detalhe. Ele nem tinha dado conta que estava no meio da encenação. Eu avisei-o e ele saiu rapidamente, pedindo muitas desculpas. Neste caso foi pura distração e falta de prática.

Na apresentação do Maracatu Palmeira Imperial no Paraty em Foco também acontece isto. Muita gente usando flash, e alguns de muito perto. Alguns se aproximam demais para fazer "closes bombásticos", a ponto dos artistas se sentirem incomodados com a proximidade, passar a ter que tomar cuidado para não baterem com uma baqueta em um, ou algo assim. Ainda tem o uso de flashs à "queima roupa", aliás, à "queima olhos" dos artistas. Este ano ainda tinha um usando um flash com um estrobo antes do disparo principal. Quem está usando flash pode usar tempos de exposição de 1/200 segundo, e dificilmente, mesmo com uma multidão de flashs, vai ter um flash intruso na foto, mas quem fotografa sem flash, como eu, com tempos de 1/30 s, 1/15 s, tem uma boa chance de ter problemas com flashs dos outros. Fora a quantidade de luzes de auxilio de foco. Muitos por ingenuidade, por desconhecimento, e alguns até por arrogância, estão agindo de forma desrespeitosa.

Lembre-se que a cena não é sua e só sua, a cena é de todos, e quem está sendo fotografado não é um mero objeto, é uma pessoa.

Acomodação do flash

Já vi muitos fotógrafos que se acomodam com o flash. Se a luz não está boa, ligam o flash. Se a cor da luz não está boa, ligam o flash. Qualquer outro motivo, ou desculpa, ligam o flash. O flash pode fazer uma iluminação bem clara no motivo principal, congelando e dando uma grande nitidez, mas pode fazer desastre com o fundo (Já vi um caso que foi exatamente ao contrário.).

Mas se já tem uma solução geral, que resolve qualquer problema, para que pensar? O flash é o lugar comum, o clichê. Muitos o usam como solução para todos os males.

Já notei gente que não olha a cena, não vê de onde vem a luz, para onde vai, qual é a qualidade dela, qual é a cor. Não olha a cena, não a sonda, não a estuda. Só coloca o flash, aperta o botão, e está pronto. E não digo só de leigos com câmeras compactas. Gente com DSLRs fazendo isto também.

Eu sou contra estudantes de fotografia usarem flash nos primeiros meses, a não ser em estúdio e situações controladas. Já incentivei muita gente a deixar o flash em casa, ou nem mesmo comprá-lo, e usar o dinheiro para comprar lentes claras, como uma 50 mm F1.8. Acho que tem que se virar sem flash nos primeiros 6 a 12 meses. Colocarem o flash no final da lista de compras. Talvez depois meses sem flash, nem mais queiram comprar um, mas garanto que o trabalho que vai ter para aproveitar cada cena com a sua própria luz vai ser muito mais enriquecedor do que ligar o flash.

Usos errados do flash

Parece que com o mesmo modo de pensar que o flash resolve tudo, as pessoas não pensam como usá-lo corretamente. É só encaixar e ligar. Mas o uso correto do flash é muito mais complicado do que as pessoas pensam. Eu não me arriscaria a escrever sobre como se usa corretamente, por ter pouca experiência com flashs, mas li uma vez no Orkut um artigo muito bom sobre flashs, que expunha muitos erros comuns. Um dos erros que já vi foi alguém tentando rebater no teto, colocando-o em 45 graus, em uma praça à céu aberto.

O flash gera toda uma série de problemas novos que tem que ser geridos para se ter um bom resultado. Para entender melhor, existe um texto no Orkut sensacional à respeito. Ele pode ser lido aqui.

Finalizando

Sei que vão ter algumas pessoas, inclusive uns que me conhecem pessoalmente, me xingando por ter dado a minha opinião sobre flashs, mas é a minha opinião. Que façam um blog defendendo o direito de queimar a retina dos outros com flashs. Aceito comentários e críticas, desde que escritos de forma coerente, contestando a minha opinião. É seu direito ter opinião em contrário.

Aliás, muito do que escrevi aqui também vale para as luzes de filmadoras.

4 comentários:

  1. Ei João, interessante o post. Gostaria de aproveitar o encejo e convidá-lo a participar do blog Resumo Fotográfico (http://resumofotografico.blogspot.com), como colaborador. Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Convite aceito, e comecei justamente por este artigo. Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  3. Adorei o post! E apesar de ser uma iniciante... Nunca uso flash...

    =)

    Marta

    ResponderExcluir
  4. Goffredo
    Achei muito ineressante os seus comentarios, a respeito do não uso do flash.

    Vou comprar uma 50mm.
    Abraços

    ResponderExcluir