Quem sou eu e o que este blog.

Minha foto

Sou viciado em computação, Internet e Fotografia. Morei por quase 6 anos, e ainda frequento, Paraty. Sou usuário de softwares Open Source, tendo dado algumas contribuições em diversas ocasiões.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Quando não usar um banco de imagens

O pessoal de propaganda gosta muito de usar fotos de bancos de imagens, ao invés de contratar um fotógrafo e lidar com direito de imagens das pessoas que aparecem na foto, pois resolve rápido e é bem mais barato. São milhões de imagens disponíveis a um baixo custo, de fácil acesso etc. Escolheu, pegou, e o custo será descontado depois no cartão de crédito. Rapidamente está tudo resolvido. Mas em alguns casos, para até ser honesto com todas as partes, deveriam contratar mesmo um fotógrafo, e não usar uma foto de um banco de imagens.

Quantas vezes o hambúrguer era diferente do da foto, e até, bem diferente? Quantas vezes o prato de comida é diferente da foto (Já fui vítima disto, e o prato de verdade era bem maior. Fiquei empanturrado.)? Você vê aquela deliciosa foto, e a comida é, na realidade, bem diferente. Não estou falando de casos que o próprio dono da loja fez a foto, ou algum estagiário da gráfica onde ele pediu para fazer o cartaz, mas de fotos de propaganda bem feitas, com tipo de fotógrafo profissional.

Casos assim, e até piores, podem gerar descrédito. Podem ser "um tiro no pé".

Quando realmente deveria ser feita a foto, e quando pode ser usada uma foto de banco de imagens?

Acho que a foto da comida de um restaurante, de uma lanchonete etc, deveria ser realmente do local, e não vir de um banco de imagens. Acho que qualquer coisa que se refira a um serviço também deveria ser feita e não ser pega em um banco de imagens.

Artigos, textos etc, que falem de algum lugar, do atendimento de algum lugar etc, realmente deveriam usar fotos feitas no local. Deveriam ser realmente do local, e não de um banco de imagens.

Vi um anúncio de um político em campanha eleitoral que mostrava um casal sendo atendido em uma maternidade que ele construiu, e logo em seguida uma prova de que aquela imagem veio de um banco de imagens, e não foi feita na maternidade mencionada. Em uma campanha eleitoral isto é um prato cheio para os oponentes dele. Se a maternidade que ele construiu funciona ou não agora não importa mais, pois o anúncio foi uma farsa. Quem fez a propaganda pisou na bola, e feio, ao usar uma foto de um banco de imagens, ao invés de realmente usar uma foto real.

Então quem está preparando um anúncio tem que pensar. É um caso em que posso usar uma foto de banco de imagens? Estarei mentindo, enganando, passando uma falsa impressão etc, se usar uma foto de banco de imagens? Poderei estar me arriscando a passar por ridículo (como no caso do político acima)? Estarei economizando de forma porca não fotografando o local, o produto, serviço, comida etc? Simplesmente pense, e pense nas consequências.

PS: Nem entrei no assunto de roubar uma foto de algum lugar, inclusive de uma propaganda, para usar em outro lugar ou outra propaganda, o que pode dar mais confusão ainda.

Atualização, 25/09/2014 19:00

Aqui estão alguns links destes vexames:

No site da Folha tem o artigo Candidatos mostram modelos estrangeiros como se fossem eleitores.

No site Brasil247 tem mais um caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário