Quem sou eu e o que este blog.

Minha foto

Sou viciado em computação, Internet e Fotografia. Morei por quase 6 anos, e ainda frequento, Paraty. Sou usuário de softwares Open Source, tendo dado algumas contribuições em diversas ocasiões.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Os 5 modos de controlar o nível de exposição

Existem, pelo menos (que eu conheça), cinco modos de controlar a exposição de uma fotografia. Três delas são inerentes da câmera, outra é usada na lente da câmera, e outra é do ambiente/cena fotografado e nem sempre pode ser controlado.

Abertura, tempo de exposição e sensibilidade

A câmera tem 3 recursos para controlar o nível de exposição: A abertura da lente, o tempo de exposição e a sensibilidade do filme/sensor. Na realidade, no caso da câmera de filme, isto vem da escolha do filme a ser usado.

Algumas câmeras tem como controlar a abertura da lente, desde que esta lente permita ser controlada pela câmera. Por exemplo, a lente Nikkor 50mm f1.8 AF-D permite que a câmera controle a abertura, e também permite que a abertura seja controlada na lente, o que é útil quando se usa uma câmera mecânica. Outro exemplo é a Nikkor 55mm f1.2 K, que não permite nenhum controle da câmera sobre a abertura, e que tem que ser modificada para ser usara em câmeras modernas, ou modelos lançados de 1977 em diante.

O tempo de exposição é controlado pelo corpo da câmera, exceto em alguns formatos de câmera, nos quais o obturador fica na lente. Isto encarece a lente, e impõe algumas restrições, mas simplifica muito o corpo.

O terceiro modo é a sensibilidade do filme/sensor.

No caso do filme, a escolha do filme fixa um parâmetro da exposição, e o fotógrafo, enquanto usar este filme, terá que trabalhar com a abertura e o tempo de exposição para obter o nível de exposição desejado. Mas pode trocar o filme, e em algumas câmeras pode trocar o compartimento do filme por outro compartimento de filme com outro filme instalado. Assim pode trabalhar com vários filmes alternadamente.

Em câmeras digitais a sensibilidade pode ser alterada eletronicamente a qualquer momento, então cada foto de um conjunto de fotos pode ter uma sensibilidade diferente. Este parâmetro de exposição está bem mais livre.

Filtros

Filtros são colocados na frente da lente, mas existem algumas lentes que tem eles embutidos dentro delas, como a Nikkor 15mm f5.6.

Eles permitem muitas coisas, como fazer estrelas nas fontes de luz, correções de cor, fotografia macro, controlar polarização, e até reduzir a exposição.

Só é possível reduzir a quantidade de luz que entra na lente, reduzindo parcialmente o espectro (e assim mudando as cores da foto, reequilibrando as cores etc), ou o espectro todo, como fazem os filtros ND.

Filtro polarizadores retiram metade da luz não polarizada por eliminar uma polarização, e dois são usados para criar um filtro ND variável.

Foi com filtros que reduzi o nível de exposição para fazer o trabalho 30 segundos ao sol. Claro que também usei uma sensibilidade baixa no sensor e uma abertura pequena.

Iluminação

Fotografia é escrita com luz, e tem que existir luz para ser feita. A luz pode ser natural da cena (que pode ser a iluminação já existente de um local fechado, como uma igreja, por exemplo), como nos meus trabalhos 30 segundos ao sol, ou 4 minutos ao luar, sem nenhum controle do fotógrafo, ou ser artificial, controlada, como é em estúdios. Ainda existe a opção de misturar as duas formas luzes, a natural e a controlada, o que é comum.

Em um estúdio pode ser usada luz contínua e/ou luz de flash, com níveis controlados pelo fotógrafo.

Existem flashes que tem potência variável, e a câmera pode controlar automaticamente a potência do flash, como acontece o modo TTL.

O fotógrafo pode controlar manualmente a potência do flash pela câmera, mesmo os que não estão fora da câmera, como é o caso do sistema CLS da Nikon. Ou até um misto de TTL e manual.

Uma mistura entre luz natural e artificial pode ser usada para resolver problemas de contra-luz, ou suavizar sombras, o que é comum em fotografias de dia usando flash.

Conclusões

Tendo ou não controle da luz, o fotógrafo tem meios de controlar a exposição, e deve fazê-lo para obter o resultado desejado, se assim for possível.

Já falei deste assunto, mas com outro enfoque, em Fotometria básica, consequências e o papel do fotógrafo. Sugiro que leia, pois está cheio de exemplos.

Devo usar este texto em vários artigos futuros, assim evito repetir este assunto em cada um destes artigos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário